Caminhos para promover Governo Aberto na Gestão de Recursos Hídricos

Compartilhar experiências e melhores práticas regionais quanto à transparência no manejo de recursos hídricos no Brasil e na América Latina. Será o lançamento dos resultados da terceira edição do relatório INTRAG, uma metodologia utilizada para avaliar a transparência dos órgãos da gestão pública. O debate contará com participantes que debaterão o relatório e compartilharão suas experiências no tema, pensando como promover o governo aberto. A mesa procurará responder às seguintes perguntas: Quais os impactos positivos de uma gestão hídrica mais transparente? Quais os desafios para a garantia da transparência? Quais informações são úteis para a elaboração de políticas públicas e para controle social e pesquisa e, portanto, devem ser transparentes? Qual o papel de governo aberto na gestão de recursos hídricos?

Maria Sílvia Rossi é Engenheira Agrônoma e mestre pela UnB e doutora pela Universidade Paris VII (2004). Trabalha com inovação e gestão estratégica do conhecimento. Foi Diretora Adjunta de Negócios do IPT/ESP, Superintendente do IBAMA no DF, e desde 2011 está subsecretária da SEMA-DF. Neste período, coordenou a elaboração do Zoneamento Ecológico-Econômico do DF (lei distrital nº 6.269/2019), articulando 26 órgãos.  Presidiu CONAM e CRH entre 2011 e 2014, quando da aprovação do PGIRH-DF e Resolução do Enquadramento dos Corpos Hídricos do DF. Participou da CTPNRH e CTPOAR. Atualmente coordena a  Subsecretária de Gestão Ambiental e Territorial da SEMA-DF com foco na integração ambiental-recursos hídricos-territorial. Está implantando a Infraestrutura de Dados Espaciais Ambiental unificada do DF, instituída pela lei do ZEE-DF, nominada SISDIA, com vistas à reunião, organização, disponibilização, compartilhamento por geoserviço dos dados espaciais de fauna, flora, água, ar, solo e demais temas ambientais do DF, mediante a integração dos bancos de dados governamentais e dados da Universidade de Brasilia.

Telma Rocha, profissional com experiência em gestão de programas sociais há mais de 17 anos, dos quais os últimos 13 anos na Fundación Avina, com larga experiência em articulação e construção  de agendas colaborativas multisetoriais, onde já atuou com temáticas de Responsabilidade Social Empresarial, Negócios Inclusivos, Reciclagem Inclusiva, Energia entre outros. Atualmente é a Responsável pelo Programa de Acesso a Água cuja teoria de mudança vislumbra como visão de futuro   “o acesso a água e saneamento universal alcançado mediante uma governança colaborativa e o cuidado com os ecossistemas em um contexto de crise climática”. Além disso também integra o Programa de Cidades Sustentáveis.  Possui MBA em gestão de serviços pela UFPE, Gestão Social e Desenvolvimento Sustentável pela UFBA e Gestão de Projetos pela Fundação Dom Cabral, Formação em Aprendizagem Organizacional por Valença  & Associados, entre outros.

Vanessa Empinotti, Professora Adjunta do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas e do Programa de Pós Graduação em Planejamento e Gestão do Território na Universidade Federal do ABC – UFABC. Atua nos temas de governança socioambiental, segurança hídrica, relações entre o rural e o urbano e planejamento territorial. Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná, mestrado em Ciência dos Solos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado em Geografia com especialização em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade do Colorado – Boulder, EUA.

Wladimir Loureiro, advogado formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Atua como representante da Federação das Associações de Moradores do Município do Rio de Janeiro (FAM-Rio) no Comitê da Bacia Hidrográfica da Baía da Guanabara, onde é subcoordenador da Câmara Técnica de Educação Ambiental, Comunicação e Mobilização. Representa ainda a FAM-Rio no Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim, onde é coordenador da Câmara Técnica de Assuntos Institucionais, Legislação e Instrumentos de Gestão.

Yumna Ghani, assistente do programa de Acesso à Informação da Artigo 19. É bacharela em Gestão de Políticas Públicas pela USP e pós graduanda em Política e Relações Internacionais pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Já atuou na Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual, Secretaria de Estado da Cultura e no Instituto Pólis, onde contribuiu para a realização do projeto Litoral Sustentável.